Cabelo cresce, amor também

Este sorriso é um marco. Já estava de alta da segunda e última cirurgia (doloridíssima) e à espera da tal da quimioterapia. Que, já estava avisada, derrubaria os meus cabelos.

Eu nunca tive problema com cabelo – ele cresce! Estava preocupadona mesmo com a quimio e os seus efeitos (os outros). E, no processo, sabia que podia contar com a Letícia – que desde o dia zero tinha dito que ia raspar o cabelo comigo. A Denize, portadora de delicadeza e beleza, também veio. Gabi Butcher, além do equipamento trouxe o maridão, Andrew, no dia do aniversário dele, e a Rebeca linda maravilhosa.

Um feriado gelado, aquele 7 de junho. Cada uma veio com seu arsenal. Denize puxou lenços lindos, boné e cachecol que ganhei de presente, seu calor e carinho. Letícia chegou com sacolão ao lado, pronta pra fazer o melhor preparo do dia. E a Gabi veio com seu olhar mais que especial. Juntas, tomamos chá, pensamos histórias. Drew, claro, deu pitacos. E Rebeca ajudou a encher a sala de leveza. Eu aceitei relutante ser o centro da história e me senti arrepiar quando uma das três pronunciou as palavras: “Aí a gente publica, linka entre nós, conta pra todo mundo e mostra que dá pra ser feliz”.

Opa!

Na minha imaginação era pra ser #piadainterna e segredo. E aí me dei conta que a careca, além de tudo, era um sinal concreto da cura a caminho, da passagem do câncer por mim. Que seria algo muito claro para quem estivesse fora. Segui na curtição de cortar o cabelo – e processando a preocupação de como colocar esta história no mundo.

Aí, Denize, Letícia e Gabi me pegaram pelas mãos e começou o rito de passagem. Escolhemos o lugar da cadeira. Lembrei de fazer uma maquiagem. Lembramos que toalhas seriam necessárias. Alguém pediu ombros de fora e eu arranquei malha e camiseta. O aquecedor, claro, estava ligado no máximo…

Depois caíram as muitas mechas de cabelo. E a Letícia empunhou a máquina de tosar… e veio com todo carinho…

Os cabelos não paravam de cair e eu pensava/falava: de onde sai tanto cabelo gente???

E junto com os cabelos, a gente riu, conversou, contou, brincou. Entre fotos de ombros de fora e momentos de preparação, discussões sobre a produção, Denize cuidava e me agasalhava… Enquanto eu me despi dos cabelos eu  serenei, baixou uma enorme paz. Os olhos de todos brilhavam ao olhar pra mim. E não, eu ainda não sabia como tinha ficado – porque as danadas, por luxo, não me deixaram olhar no espelho.

 

Denize, mestra dos pincéis, veio fazer retoque no make.

Eu via a Letícia com os olhos brilhando, enquanto ajudava a fazer a luz.

Gabi e todos me faziam posar e posar e posar. Vida de modelo é luxo e alegria, minha gente!

A curiosidade cresceu, cresceu, cresceu. Fiz foto com a minha plaquinha preferida: meu riso é o que me define. E aí fomos todas ao espelhão ver o resultado.

 

Babei!!! Gente, é o máximo ficar careca! Liberdade total, sabem?

Depois do espelho, Denize fez o seu retoque; Letícia se enfaixou na toalha e mandou bem numa máquina dois. E quando a gente já ia ganhando a Gabi, o Andrew disse que não!!! 😀

Sabem um dia sem defeito? Foi este! Fiz uma passagem importante com amor e todos que estiveram aqui (inclusive esta criança iluminada com 8 anos)  juntaram os meus muitos pedaços de um jeito novo, mais leve e livre.

O melhor: sim, eu brinco com a história. Já concordei que a Rota me pegou; outro dia foi a Fundação Casa, ops, FEBEM (#oldage detected)… E também aproveito para causar choques pontuais dizendo em alto e bom som que eu tive câncer.

Atenção ao tempo verbal: TIVE!!! E tenho certeza que com alegria, carinho, delicadeza, gentileza e estas mãos maravilhosas em torno de mim, ele não vai ter forças de voltar.

Deixo um conselho: raspe sua cabeça pelo menos uma vez na vida. Máquina zero, um, dois, três, não importa. Pelo menos uma vez na vida, raspe tudo. Mude tudo. De mãos dadas com quem te ama, te quer bem você só tem a ganhar.

Minhas companheiras, obrigada. Que este nosso projeto possa ajudar outras (e outros, quem sabe?) a viver melhor e descobrir outros caminhos.

71 respostas para “Cabelo cresce, amor também”

  1. Chorei de tanta lindeza, de tanto afeto, de tanta alegria…
    Quem tem UM verdadeiro amigo, tem tudo nessa vida!
    Quem tem vários então!!!!!
    Saúde!
    Saúde!
    Saúde!

  2. Desnudar-se, descobrir-se.

    Meu ritual de passagem também foi num dia 7.Só que de julho de 2011. Inesquecível e transformador. Registrado em desenhos. Reconstrução da vaidade, nudez.

    Linda iniciativa.

  3. Lu, tão lindo! Raspar a cabeça é um ato de coragem. É desprender-se de tantas amarras. Eu ainda não descobri esta força, mas quem sabe.

    Minhas lágrimas são de muita alegria. É muito amor verdadeiro em tantas formas de comunicação.

    Um grande beijo, Lu!

    1. Geu, nunca tinha raspado antes… hoje é sinônimo de liberdade, vida, alegria, amor, transformação, graças a este ninho de amor em que estou emaranhada…
      beijo procê querida.

  4. Linda, obrigada por nos lembrar de que é permitido falar sobre tudo na vida, e que beleza, delicadeza e bom humor tornam mais leve qualquer situação. Muita saúde, abraços e carinhos pra dona desse lindo sorriso!

  5. Nossa, que post lindo, que amizade bonita, emocionante! Força e saúde pra você, Lucia, muitos anos e muita luz pra curtir e celebrar essa amizade e a vida.

  6. Lúcia, vi sua foto no FB. Não tinha percebido/entendido. Li agora, emocionada, sua história em tom de poesia. O que dizer? Felicidades e alegrias sempre minha querida, pois força, bom humor e sorriso lindão vc tem de sobra! Super abraço.

  7. E eu li. E chorei com esse depoimento tão lindo.
    Força pra você!
    E tudo será mais fácil porque você está recheada do que o mundo tem de mais belo: amor.

    🙂

    1. Eu escrevi emocionada também, Jacqueline…
      É muita emoção, o tempo todo.
      Obrigada pela visita e pelo carinho, viu?

    1. ÊÊÊÊ
      Quero churrasco, Daniel!!! 😀
      Tinha que contar isso, não tinha? Que seja assim: pro bem, pra inspirar, pra ajudar.
      beijo enorme procê

  8. querida, que linda você é, você está! tou super orgulhosa de você, e besta de como você tá MAIS LINDA AINDA. incrível, e lindo de ver. aqui à distância, ajudando o pouco que eu consigo, fico super feliz que você tem amigas tão próximas, disponíveis e amorosas aí do seu lado.

    parabéns por ser tão linda e estar passando por isso íntegra e aberta.

    que venha o novo cabelo! 🙂

    1. Zel.
      Com incentivo e aprovação de vossa senhoria, que também é amiga muito da querida. Este trio, realmente, vale ouro. São umas anjas, todas as três, cada uma do seu jeito.
      Beijo lindona

  9. Encantada! Sempre me encantando com você, minha querida amiga. A Lucia das junções! E cresce o meu amor por você… e por esses queridos amigos que estão ai pertinho.
    beijos

    1. e você também tá pertinho, né? E aprendi a encantar com os teus textos, fique a senhoura sabendo. Ainda me deves um blog, viu, Marga! Te amo

  10. Oi,sou cunhada da Jacy.
    Simplismente maravilhosa suas palavras.
    Grite bem alto:EU TIVE CANCÊR.Pq com certeza ele se foi.
    Sucesso e muita,mais muita mesmo FELICIDADES.
    Abraços.
    Renata

    1. Oi, Renata,
      Obrigada, viu! E felicidade é fácil quando a gente tem a honra de receber esta enxurrada de amor!!!

  11. Minha querida joaninha, fiquei emocionada com seu post, é lindo!
    Parabéns pela força e pela coragem, seu gesto é incrível.
    Beijos

  12. Ah, queria comentar também que tenho uma amiga que raspa a cabeça periodicamente para arrecadar fundos para o combate ao câncer, é uma prática razoavelmente comum nos Estados Unidos (terra natal dela), acho que é promovida por uma associação de lá. Bom, é só uma ideia…

    É isso. E mais uma vez: parabééééééns!

    Beijos

    1. Marta!!!!
      Obrigada por vir aqui contar coisa boa minha linda… saudades de você, moça! Obrigada pelo carinho, viu?

  13. Lúcia! Estou aqui na torcida para sua recuperação… e que este emocionante relato vire uma história para contar.. beijos

  14. Que texto lindo, Lucia! E que amigas especiais voce tem! Eu so acho que o Drew devia ter liberado a Gabi! ahahahha

    Estou daqui de longe acompanhando, mas as vibes positivas estão chegando bem pertinho, pode ter certeza.

    Ah! O Luluzinhas saiu no Especial Mulher desse mês da Revista você SA, aquela entrevista que voce me deu! Procura nas bancas!!

    bjs

    1. Que bom que vcê curtiu, Mic!! Agradeço, mesmo, as vibes. A tua matéria na Você já tinha ficado sabendo – porque apareceu uma moça pedindo pra entrar no grupo hahahahahah. Corri pra banca e babei!!! Só fiquei brava porque não tem UMA LINHA ONLINE… como assim, minha gente??? Mas tudo bem, já já eu falo disso no LuluzinhaCamp também.
      Obrigada por tudo viu linda?
      beijo

  15. Lu querida, tou meio longe, mas acompanho todo esse processo pela Mawá 🙂

    A mensagem da plaquinha não podia ser melhor.
    Repassando as vezes que te encontrei, só lembro de gargalhadas e uma energia ducaralho.

    Beijo!

    1. Weno!!!
      Ainda bem que a gente tem a Mawá fazendo telefone com fio, né? Eu abençôo esta querida todo dia…
      Tá fácil continuar com esta energia e com as gargalhadas com esta onda gigante de amor… 😀
      beijo

  16. Lu, emocionei

    E estou certa de que o verbo é mesmo no passado… E btw você está lindíssima assim, e esse sorriso realmente é 100% você

    To longe, mas meu coração está contigo e logo vou aí dar um abraço de muito amor!!!

    bjsssss

  17. Oi Lucia,
    Eu também passei pelo que vc está passando. Passei não, passo, pois tomo anti-hormônio e ainda tem um bom tempo de tratamento pela frente.
    Durante minha quimio eu pedi para continuar trabalhando. Meu médico não queria, mas eu negociei com ele e disse que se não aguentasse, eu pararia de trabalhar. Aguentei. Fazia as aplicações nas sextas e hibernava nos finais de semana. Segunda-feira estava nova para enfrentar o batente.
    A melhor dica que me deram, vou passar para vc, durante a quimio, não tome coca-cola e nenhuma bebida com gás,pois pode pesar no estômago. Não se alimente de nada quente.
    Nunca vomitei durante a quimio, mas aprendi a respeitar o meu corpo. Depois da quimio eu não tinha fome e não comia. Ficava um dia até dois sem me alimentar, pois sentia que não ia caber nada dentro de mim. Depois a fome vinha com uma força que eu precisava comer o mundo. Parecia que meu corpo queria se recuperar.
    É muito bom ter quem te ame e fique do seu lado nesta fase. Eu não estaria viva se não fosse meu marido, que literalmente me carregou no colo no final das quimios, pois eu ficava muito zonza, muito fraca e muito só.
    Minha recuperação se deu devido a ele, minha vizinha, minha enteada e meus bichinhos de estimação, pois todos estes seres foram de uma abnegação que só tenho a agradecer todos os dias, por toda a minha vida.
    Se vc precisar de alguém para trocar ideias, pode me escrever:
    bloggostodisto@gmail.com
    Já sou veterana no assunto e não me importo de trocar informações.
    Sinta-se fortemente abraçada por mim.

    Gosto disto!

    1. Ai Betty,
      Que depoimento fofo!!! Obrigada pelas dicas (que, sim, a minha “madrinha” Nuna já tinha me dado e foram repetidas pela oncologista).
      vou te escrever, sim. beijo

  18. História de arrepiar, emocionar e para refletir.

    “… raspe sua cabeça pelo menos uma vez na vida. Máquina zero, um, dois, três, não importa. Pelo menos uma vez na vida, raspe tudo. Mude tudo. De mãos dadas com quem te ama, te quer bem você só tem a ganhar”.

    LINDO!

    Força e muita luz, Lucia!

  19. Oi, Lucia
    Voltei para deixar 2 links da minha própria experiência ano passado.

    Do meu descabelamento (faz um ano amanhã, dia 7/7) saiu esta imagem.
    http://maiscanela.wordpress.com/2011/07/05/caderno-vermelho-3/

    E este post:
    http://maiscanela.wordpress.com/2011/07/12/madeixas-me-deixa/

    Assim como a Betty não parei de trabalhar, enjoei muito pouco (viva a medicina e as bombas anti enjoo que me davam nas sessões), aprendi a respeitar meu corpo e deixá-lo quieto quando ele queria ficar quieto. Voltei a fazer esporte, aprendi a dizer não e hoje em dia o meu riso vem muito mais fácil e mais leve.

    Um beijo,

  20. Oi Lu,

    Sou ruim com as palavras, principalmente se tratando de descrições dos meus sentimentos, mans, quero registrar aqui meu carinho imenso por ti.

    Desejo toda (boa)sorte do mundo. \o/

    Força, honra e como dizem nas ruas: “tamo junto!”

    Bj lindona. ^____^

  21. Foi uma amiga em comum, a Flavia, que me “apresentou” você e seu blog. Eu também passei por isso. Quando soube que perderia o cabelo resolvi logo raspar. Achei que seria mais simples para todos se eu fizesse antes que a químio o fizesse.
    E aí acabam as semelhanças de nossa história (com relação ao cabelo, claro, pois quanto ao câncer, também estou curada!): ninguém me apoiou, ninguém gostou. Fui muito criticada. Mas eu sei que fiz, por mim e para mim, a coisa certa.

    1. oi, Marcie,
      chato isso hein? Eu tô me amando careca. E rolo de rir porque sim, tem muita gente que olha torto pra minha careca, mas não tô nem aí…
      Já tá na remissão? Eu festejo por você! (e conto os segundos pra poder festejar).
      beijo

  22. Lú,

    tudo bem com você?

    Cara, que loucura, hein? Pela sua fotinho no Twitter havia percebido o novo visu, mas só agora soube que era decorrente do câncer…

    De toda forma, adorei a forma como você lidou. A minha mãe teve câncer há dois anos e entrou em parafuso. Por sorte, o tumor foi encontrado bem cedo e a químio foi branda. Ela está curada, mas morre de medo que a doença volte. Vou mandar a url deste site para ela e mostrar a forma incrível como você lidou com a doença.

    Parabéns, querida. Mais uma vez você sendo uma professora para mim. Já me ensinou a fazer blogs melhor e, agora, me ensina a olhar para vida de forma positiva e cheia de amorosidade.

    Um grande beijo,

    Isadora.

    1. Oi, Isadora!!!
      Tudo indo meu anjo, tudo indo. engraçado que só depois que fiz o que me veio lá do fundo é que pude notar o quanto tenho encarado este processo todo de um jeito absolutamente diferente do “normal”. O parafuso e o medo são os denominadores comuns.
      E, veja: eu também tenho medo. Não de morrer, nem da doença. Mas eles estão aqui (prontinhos pra virar post, né? hahahaha)
      beijo enorme lindona

  23. Oi,Lú:
    só hoje fiquei sabendo e vi te enviar toda a força do mundo,toda a força de todas as mulheres que você já ajudou e, claro, dizer que estou na torcida, com a certeza de sua cura total.E muito emocionada com seu texto.
    Beijos e fique muuuito bem, logo!

  24. Oi Lucia gostaria de saber como vc está?Linda a sua história de superação!!!!!E saber q vc é uma mulher forte e guerreira!!!Bjussss

    1. Oi, Isabela.
      Estou bem, obrigada.
      Força? É falta de alternativa. Ou a gente ganha ou ganha… hehehehe
      beijo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *